Poesia de amor em tom azul

Na falta do que dizer em palavras simplesmente faladas, achei melhor dizer em poesia o que falaria o meu próprio coração. 

Pra quem falar isso ? Ora, moço, ou moça, Seu Zé, Dona Maria, o próprio coração que fala poesia sabe pra qual outro coração a dita poesia se destina. 

Agora  sinceramente,  se  puder leia ouvindo , ao fundo, baixinho “Ainda Bem “, cantada por Vanessa da Mata e quando terminar escute de Tom Jobim: “Só Tinha de Ser Com Você”, mas a versão cantada por Elis Regina.

De Uma Vez Por Todas

Não te amo só pelos teus olhos

Mas por tudo que possas ver e transmitir pelo olhar

Não te amo só pelos teus doces lábios

Mas por todas as palavras que possas dizer

Não te amo só pelas tuas macias mãos

Mas por tudo que elas possam fazer e me trazer

Não te amo só pelo teu corpo moreno suave

Mas por tudo que possas dele compartilhar

Não te amo só pelos teus lindos pés

Mas por todos os caminhos que me possas levar

Te amo porque me surpreendes

Te amo por me quereres

Te amo por me ausentares de mim

Te amo por me descobrires em ti

Te amo por me encontrares aqui

Te amo por me beijares sem fim

Te amo por me completares

Te amo por me seres

Te amo por me teres

Te amo por me receberes

Simplesmente assim,

Sem medidas, sem pesares

Sem usar comparações

Sem pedir explicações,

Sem mudar declarações

Sem tirar conclusões

Sem pedir opiniões

Sobre todas as razões

Simplesmente assim

Como se amor fosse cor

Como se amar, alimento

Como se amor fosse som

Como se amar, alento

Como se amor fosse dom

Como se amar, pensamento

Como se amor fosse flor

Como se amar, da alma, sustento

Simplesmente assim

Sem qualquer dúvida latente

Sem qualquer lágrima insistente

Realmente assim

Sem mágoa, sem medo, sem fuga, sem fim

(Publicado em 19.01.2011)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *