Sem (poesia com sugestão musical)

Leia ouvindo esta música:

 

Sem

Não há mais qualquer som
Não há qualquer sombra, um reflexo que seja
Nenhum vento ou brisa que provoque qualquer movimento
Não há impressões, não há o que se achar, pois nada há que se procure
Sentimentos não há, nem duvidas ou saberes,
só um vazio, tão imenso e bom,
tão escuro e solitariamente tranquilo
que se confunde perfeitamente com a irremediável luz.
Imensidão em todos os sentidos e direções,
um ensurdecedor silêncio perpassa brutalmente todos os sons possíveis e impossíveis,
nada se corta, nada se perde, nada abandona, nada a mais.
Nada há.
Há perfeição,
é o tudo em tão pouco a ser dito.
Não há necessidades, tampouco desejos
Palavras não servem mais
Pensar?
Perguntar?
Saber?
Nem ser, precisa mais
Quanto mais, o quê?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *